Por Que a Perda de Cabelo é Mais Comum em Homens do Que em Mulheres

0
114

Queda de CabeloEmbora homens e mulheres possam sofrer do mal da perda de cabelo, tende a ser mais visível nos homens. Isto é devido ao fato de homens e mulheres perderem o cabelo de maneiras muito diferentes. Aqui vamos analisar por que a perda de cabelo parece ser mais comum nos homens do que nas mulheres.

Perder os cabelos pode ser muito devastador.

Tanto que 68 por cento dos homens envolvidos em um estudo europeu afirmaram que a perda de cabelo afetaria fortemente sua autoestima, com a maior preocupação na baixa atratividade que essas quedas de cabelo lhes ocasionariam.

Infelizmente, ou “felizmente rss” a perda de cabelo e a eventual calvície, são muito mais comuns nos homens do que nas mulheres. Mas por que isso acontece?

Tanto homens quanto mulheres podem sofrer perda de cabelo, sendo a mais comum denominada calvície padrão masculina ou feminina, ou alopecia androgenética que é a maior causa de calvície do mundo .

Esse tipo de perda de cabelo é muito diferente da perda de cabelo (eflúvio telógeno), que pode ocorrer com quase todos em algum momento ou outro quando o corpo passa por algo traumático, como por exemplo um evento estressante. Nesse caso provavelmente, o cabelo irá crescer de volta.

No entanto com a perda de cabelo denominada de padrão masculina e feminina, ou alopecia androgenésica  é permanente, afetando tanto em média 70 por cento dos homens e 40 por cento das mulheres em algum momento de suas vidas. Por esta razão, nos focaremos na alopecia androgenética.

Embora existam uma grande variedade de fatores ambientais que também podem elevar o risco de uma pessoa a desenvolver a alopecia androgênica é também amplamente considerada uma condição geneticamente hereditária, pois “tende a se agrupar em famílias”, de acordo com os Institutos Nacionais de Saúde (INS).

Especificamente, as variações no chamado gene AR podem aumentar a atividade dos receptores de andrógenos nos folículos capilares, que respondem aos andrógenos como a dihidrotestosterona (DHT), um subproduto da testosterona. DHT encolhe os folículos capilares, tornando difícil para o cabelo viver saudável.

E porque está sendo produzindo em auto níveis de testosterona nos homens  é muito mais provável que os afete mais do que as mulheres.

Como todos os nossos hormônios estão “furiosos” durante a puberdade, o risco de vir a desenvolver alopecia androgenética pode iniciar na adolescência e ir aumentando gradativamente de acordo com a elevação da idade.

Aos 35 anos, cerca de dois terços dos homens perderão pelo menos um pouco de cabelo e, por volta dos 50, cerca de 85% sofrerão queda de cabelo, de acordo com a American Hair Loss Association .

Nas mulheres, a condição também pode se desenvolver precocemente, mas geralmente ocorre após a menopausa – este efeito não é causado por níveis mais altos de testosterona, mas sim por uma queda acentuada em outros níveis hormonais.

E enquanto os homens geralmente perdem os cabelos em um padrão definido, já as mulheres perdem cabelo e experimentam desbaste por toda parte, embora nunca se tornem carecas.

Embora pareça que não há interrupção da perda de cabelo – porque realmente não existe – há maneiras de preveni-la ou diminuí-la.

4 dicas importante para evitar a perda de cabelo;

Evite inflamar os folículos pilosos.

Alguns penteados que puxam os cabelos para ficar bem esticados, podem inflamar e cicatrizar os folículos pilosos, o que, em última instância, mata os cabelos saudáveis.

Nas pessoas predispostas à alopecia androgenética, esses tipos de penteados são especialmente arriscados. A aplicação incorreta de produtos químicos ao cabelo, como corantes, alvejantes e alisadores também pode causar danos.

Obtenha alguns medicamentos aprovados pela FDA.

Você provavelmente já ouviu falar de Rogaine (minoxidil) antes. Enquanto algumas pessoas não acreditam que isso funciona, a droga certamente pode prevenir a perda de cabelo, e às vezes restaura o crescimento do cabelo também – a maioria das pessoas simplesmente não sabe como usá-lo.

O truque, de acordo com a Saúde Masculina , é usá-lo pelo menos duas vezes por dia durante seis meses. Algumas pessoas podem abrir o cabelo inicialmente, mas, eventualmente, ele funcionará. Essa droga descrita, bloqueia a testosterona de se transformar em DHT, evitando assim a perda de cabelo.

Mude sua dieta.

O cabelo precisa de uma nutrição adequada para se tornar saudável – afinal você é o que você come. Certifique-se de que exista uma boa quantidade de ferro, zinco, vitamina D, proteína, ácidos graxos ômega-3 e biotina na sua dieta.

Fique longe dos alimentos fritos gordurosos e sobremesas; O óleo da comida frita pode transformar a testosterona em DHT mais rapidamente através de uma maior atividade de glandoles, enquanto o açúcar das sobremesas aumenta os níveis de insulina, provocando a liberação de testosterona.

Intervenção cirúrgica.

Existem algumas cirurgias, mas de acordo com a Saúde Masculina, mais homens estão escolhendo uma chamada extração de unidade folicular (EUF) porque é menos invasiva do que outras técnicas.

Envolve enxertar grupos de folículos capilares de uma área doadora no couro cabeludo da pessoa, e depois transplantando-os para a área de calvície. “É uma recuperação mais curta e menos dolorosa, e elimina completamente as cicatrizes lineares na parte de trás da cabeça”, disse Alan Bauman, um especialista em perda de cabelo na Flórida, para a Men’s Health.

Bauman afirma que 50% da perda de cabelo pode ocorrer antes mesmo de ser visível para o olho humano. Isso significa que tomar medidas preventivas é ainda mais importante na redução do risco de perda de cabelo.